P R A G A T E C N O

rede colaborativa em torno da cultura do dj e cibercultura, cultura livre

MÚSICA ELETRÔNICA: DE ONDE VIEMOS PARA ONDE VAMOS?

Cartaz Final Resumido - Pragatecno

O COLETIVO PRAGATECNO COMEMORA QUINZE ANOS COM SEMINÁRIOS, OFICINAS E FESTAS DE MÚSICA ELETRÔNICA

Grupo realiza evento de três dias com entrada gratuita, no Lalá Multiespaço, em Salvador

INSCRIÇOES AQUI: https://docs.google.com/forms/d/1cvftu6tZoBHDsya8Ufv5p2tEOqwGIZGk3eB19oyAb-U/viewform

Dias 14, 15 e 16 de maio o coletivo Pragatecno realiza o evento Música Eletrônica: De Onde Viemos e Para Onde Vamos? Com seminários, oficinas, palestras, mostra de vídeo, DJs sets e, claro, festas. O coletivo comemora quinze anos de atuação na cena musical eletrônica da Bahia com a proposta de refletir sobre o contexto atual, repensar sua história e celebrar o gênero musical – em especial a House, considerada a primeira vertente da música eletrônica. Música Eletrônica: De Onde Viemos e Para Onde Vamos? acontece no Lalá Multiespaço, no Rio Vermelho (ver programação). Todas as atividades são gratuitas, mas é preciso se inscrever no endereço http://www.pragatecno.com.br e baixar o convite (que deverá ser impresso ou mostrado em celular, como ticket de entrada).

Após uma década e meia fazendo festas, promovendo palestras e ministrando oficinas, o coletivo viu muita coisa acontecer no universo da música eletrônica – que caiu nas graças da mídia e do grande público, tornando-se um rentável produto de mercado. “Acreditamos que merecemos fazer uma pausa para reflexão, para contar parte de uma história que acaba, por tabela, sendo a nossa. E, é claro, festejar”, explica Adriana Prates, uma das coordenadoras do evento. Para ela, o papel dos coletivos mudou: “É preciso fomentar a reflexão, para apoiar inciativas que levem a música adiante, em vez de simplesmente se deixar levar por aquelas que visam apenas explorar o seu potencial econômico, deixando, muitas vezes, a arte de lado”, acredita.

Durante os três dias, seminários e palestras iniciam as atividades a partir das 19h. Entre os temas, a cena atual de música eletrônica; produção musical; tecnologias e recursos atuais de mixagem e djing;  história da emusic. As audições comentadas e oficinas tratam da evolução do gênero desde a Disco Music e das técnicas e equipamentos para a discotecagem. Na mostra de vídeos, produções ligadas ao universo da e-music. Set DJs também se apresentam diariamente e cada final de noite, uma festa de música eletrônica encerra as atividades.
Além dos DJs do núcleo baiano do coletivo – formado por Adriana Prates, Angelis Sanctus, Mauro Telefunksoul e Môpa -, os DJs Benjamin Ferreira e Camilo Rocha (ambos de São Paulo) participam dos seminários e audições comentadas, além de tocaram nas festas. E os VJs pixel e Mateus Ribeiro fazem Live Cinema.

Para Marcos Sandes (Dj Môpa), outro coordenador do evento, este formato permite estabelecer uma dinâmica mais envolvente com o público. “Misturando reflexão e diversão, o evento pretende criar um espaço de encontro entre DJs que iniciaram a cena baiana há décadas e aqueles que se iniciam na cena agora. Além de promoters e fãs da cultura do DJ e da cena musical eletrônica. Vamos trocar ideias, nos conhecer, curtir a música que amamos”, acredita.

Já Claudio Manoel (DJ Angelis Sanctus), um dos fundadores do Pragatecno, acredita que a cena atual precisa de um espaço reflexivo, além da diversão. Ele lembra que, “no começo do Pragatecno, ainda em Alagoas, tínhamos uma cena com vários tipos de dificuldades, porém com fundamentos, conceitos em torno da música. Onde o DJ pesquisava, assinava seu set com suas escolhas estéticas e circulava em espaços de cultura identitária, fora dos circuitos mais comerciais”, avalia Cláudio. E acrescenta que “em menos de 2 décadas a cena ganha o maistream e passa a ser até produto e espaço para merchadising e marketing. Temos aqui uma trajetória interessante para pensar. Além disso, é preciso criar esses momentos mais verticais, de aprofundamento dos temas, não apenas horizontais e festivos, mas momentos de contato dos novos DJs com o que consolidou-se como cultura do DJ”, complementa.

A primeira roda de conversa, De Onde Viemos, Para Onde Vamos, traduz a intenção do evento. Os convidados são o jornalista e DJ Camilo Rocha (SP), um observador da cena desde a década de 1980 e o DJ Wilson, prata da casa baiana, um precursor do ofício – ainda na década de 1970 – em atividade até os dias de hoje.

A partir do evento também será produzido um netvideo – documentário em curta duração para livre distribuição em plataformas digitais (blogs, sites, redes sociais digitais, tablets, celulares). Nos próximos meses o coletivo lança e-book resgatado a história e divulgando os conceitos do Pragatecno e seus Núcleos no Brasil. O e-book também trará artigos e depoimentos de DJs e teóricos da cena musical.

O COLETIVO – Fundado em janeiro de 1998 em Maceió (AL) o Pragatecno chegou a Bahia em 2000 e sempre articulou a produção de festas com eventos de formação – como oficinas de DJ e seminários; além de dialogar com outras expressões contemporâneas, como o vídeo, a dança e as artes visuais.  Isto por entender que a uma cena musical ai para além da pista de dança e implica também em moda, comportamento e visão de mundo. Primeiro coletivo de música com atuação regional (Norte-Nordeste), além dos núcleos já citados, também está presente em João Pessoa (PB), Recife (PE), Fortaleza (CE), Belém (PA), São Luiz (MA), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Barreiras (BA).

O Pragatecno foi o produtor do primeiro CD duplo de música eletrônica do Brasil (SOMBINÁRIO #1) e mantem umas das listas de discussão mais antigas do Norte e Nordeste (PragatecnoBrasil), onde a comunidade pode, durante anos, trocar informações sobre as cenas locais.

O evento Música Eletrônica: De Onde Viemos e Para Onde Vamos? É patrocinado pela Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia-Secult (Fundo de Cultura).

SERVIÇO
MÚSICA ELETRÔNICA: DE ONDE VIEMOS, PARA ONDE VAMOS?
Dias 14, 15 e 16 de maio
A partir das 19h
Lalá Multiespaço (Rio Vermelho, Salvador, Bahia)
Entrada franca (o convite deve ser baixado no site http://www.pragatecno.com.br e impresso ou mostrado em celular como ticket de entrada).

PROGRAMAÇÃO
Dia 14 de maio – quinta-feira
Abertura-Recepção
19h –  Roda de Conversa: De Onde Viemos Para Onde Vamos, com Camilo Rocha (SP), Wilson Pinto (BA), Adriana Prates e Cláudio Manoel (BA). Piso 3
21h – Mostra de vídeos E-Music (Lounge). Piso 3
22h – Festa Discology (edição Bahia), com DJ Camilo Rocha (SP) e DJ Benjamin Ferreira. E os VJs
Mateus Ribeiro e pixel. Piso 2

Dia 15 de maio – sexta-feira
19h – Palestra (DJ set comentado): Da Disco à House Music, com DJ Benjamin Ferreira (SP). Piso 3
20h – Palestra-demo: Produzindo E-Music, com DJ Môpa (BA). Piso 3
20h30 – Mostra de Vídeos E-Music (Lounge). Piso 3
21h – DJ Set Adriana Prates e João Ricardo (MA). Piso 4
00h – Festa Pragatecno, com os DJs Angelis Sanctus (aka Claudio M e & DJ Mauro Telefunksoul. VJs
Mateus Ribeiro e pixel. Piso 2.

Dia 16 de maio – sábado
19h – Mostra de vídeos E-Music (Lounge). Piso 3
20h – Palestra-demo: Técnicas e equipamentos de Discotecagem: do vinil às interfaces de timecode, com DJ Mauro Telefunksoul. Piso 3
22h –  DJ Set André Urso (warm up).  Piso 4
00h – Festa BigBang, com DJ Môpa. VJs Mateus Ribeiro e pixel. Piso 2
__
Página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/942813759092925/
Página do Pragatecno no Facebook: https://www.facebook.com/pragatecno?fref=ts
Site do Pragatecno: http://www.pragatecno.com.br

Sobre pragatecno

Um coletivo, uma rede norte nordeste em torno da cultura do dj A idéia é a troca de informação, parcerias, cultura livre, rede colaborativa em torno da cultura do dj e cibercultura O Pragatecno, criado em 24 de janeiro de 1998, é um núcleo de e-music no norte-nordeste. Sua idéia principal é procurar trazer à tona as novidades da cultura experimental, não comercial da música eletrônica e cibercultura, através da troca de informação entre djs e produtores nessas regiões. O Pragatecno defende que a cultura da música eletrônica é uma expressão artística da Cibercultura. “Música eletrônica é arte experimental, é arte contemporânea”, defende o grupo em seu site (www.pragatecno.com.br). Fazem parte dessa conexão djs parceiros que atuam nas cidades de Belém do Pará, São Luis, Fortaleza, João Pessoa, Maceió e Salvador. Podemos definir o Pragatecno como uma conexão norte e nordeste para fortalecer a cultura experimental da música eletrônica.

3 comentários em “MÚSICA ELETRÔNICA: DE ONDE VIEMOS PARA ONDE VAMOS?

  1. Rubens das Virgens Netto
    23/04/2015

    Eu e meu amigo gostaríamos de nos inscrever no excelente evento!
    Como fazemos?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 05/04/2015 por em Evento, FESTA e marcado , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: