Pragatecno promove encontro de seus coletivos no Nordeste para refletir sobre mulheres na cena de música eletrônica

dois-2

A atuação de mulheres na cena da música eletrônica é tema do PitchGirls, de 24 a 29 de julho

O coletivo Pragatecno realiza PitchGirls – Encontro de Música Eletrônica: De onde Viemos para onde vamos?, nos dias 24 a 29 de julho, na TROPOS (Rua Ilhéus, 214, Rio Vermelho). Com oficinas, bate papos, palestras e festas, em sua segunda edição, o evento lança um olhar para a presença das mulheres na história da música eletrônica, reunindo as Djs do coletivo para realizar uma série de atividades em Salvador.

PitchGirls reunirá DJS, apreciadores, produtores e pesquisadores dedicados à música eletrônica para trocar ideias e informações sobre a cena de música eletrônica no Brasil e no mundo, fazendo um recorte sobre a perspectiva de gênero neste cenário musical. Desta vez, a proposta é celebrar a trajetória das DJs mulheres dentro do Pragatecno no Norte e Nordeste. O encontro também vai refletir sobre os motivos de mulheres ainda figurarem pouco nos line ups das festas soteropolitanas, bem como na cena brasileira. De acordo com Adriana Prates, uma das idealizadoras do evento e DJ pioneira na música eletrônica na Bahia, menos de 10% dos djs contratados são mulheres, bem como também são minoria na produção musical, o que implica também numa maior formatação desse modelo de evento.

O espaço para dançar e ouvir música eletrônica está garantido: além da pistinha que vai rolar na Tropos ao final das atividades de cada dia, no dia 29 de julho, as DJs do Pragatecno assumirão as discotecagens da noite Adriana Prates, Dany Andrade (PB) e Fernanda S aka Foxxy (PB) farão a festa de encerramento do PitchGirls no Bar Lebowski (R. da Paciência, 127. Rio Vermelho, Salvador), mostrando um pouco do trabalho das profissionais que se destacam na cena eletrônica do Nordeste. A VJ May HD (BA) também participará da noite, gerando imagens e partilhando um pouco da sua trajetória, que data desde os tempos do tara_code, no final dos anos 90. A artista visual assina também os grafismos da identidade visual do evento, ao lado de Gil Maciel, um dos fundadores do Pragatecno.

A programação do PitchGirls é gratuita e o projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia A realização é do Coletivo Pragatecno.

DE ONDE VIEMOS PARA ONDE VAMOS?

Pitch Girls quer homenagear as mulheres que ajudaram a construir a história do Pragatecno, que se confunde com a trajetória da música eletrônica no Norte e Nordeste, sempre reunindo no coletivo mulheres e LGBTQ+. “Mulheres que tocam há dez, quinze anos e que sempre protagonizaram a cena de suas cidades. Se hoje ainda é difícil, o que dizer de dez, quinze, dezoito anos atrás? Queremos contar as histórias delas e estimular para que apareçam mais e mais mulheres. Em relação a este fato, entendemos que o machismo é algo estrutural, um fenômeno abrangente e complexo, que está embutido, de alguma forma, em tudo que nos cerca” acrescenta Prates. Por este motivo, o seminário estimulará as meninas de Salvador a se aventurarem nos equipamentos e a se qualificarem para ocupar a cena.

claudia_assef1
A escritora, autora do livro Todo DJ já Sambou, jornalista dj e editora do portal MusicNonStop Cláudia Assef participa da programação falando sobre Mulheres, Djing e produção de música eletrônica.

Um dos destaques da programação é a palestra Mulheres, Djing e produção de música eletrônica, com a escritora, jornalista e DJ Cláudia Assef (SP). Autora do livro “Todo DJ Já Sambou”, ela atua no jornalismo especializado em música, com passagens pela Folha de São Paulo, Estado de São Paula e é sócia da plataforma de música voltada para o protagonismo da mulher na música, Women’s Music Event, e é publisher do site de música Music Non Stop. Direto de João Pessoa, DJ Kylt ministra oficina de introdução à arte da discotecagem, sendo uma das pioneiras na cena eletrônica na Paraíba.

O “De Onde Viemos para Onde Vamos? segue basicamente o formato da primeira edição, apresentando como novidade as oficinas, ministradas por mulheres exclusivamente para o público feminino (mulheres cis e trans). Nas pistinhas que encerram as atividades diárias, os integrantes masculinos do Pragatecno convidam mulheres atuantes na cena para dividir os decks.

 

Programação – PITCHGIRLS – DE ONDE VIEMOS, PARA ONDE VAMOS?

II Encontro Pragatecno sobre Cultura do DJ

 

Edição especial em homenagem às DJs do Coletivo Pragatecno (oficinas, bate papos, palestras, pistinhas, festa)

Data: 24 a 29 de julho 2017

Realização: Coletivo Pragatecno

Apoio financeiro: Secult – Bahia

Local > Tropos (Rua Ilhéus, 214, Rio Vermelho, Salvador)

(todas as atividades são gratuitas)

 

OFICINAS EXCLUSIVAS PARA MULHERES

– Produção Cultural, com a DJ Adriana Prates

Segunda-feira – 24 de julho (manhã e tarde, das 9h às 12h / das 14 às 18h)

 

– Introdução à Arte da Discotecagem, com a DJ Kylt

Quarta, quinta e sexta-feira – 26, 27 e 28 de julho (nas manhãs, das 9h às 13h)

 

– Introdução à produção musical utilizando softwares (Ableton Live), com Neila Khadí

Quarta-feira, quinta e sexta-feira – 26, 27 e 28 de julho (às tardes das 14h às 18h)

 

OUTRAS ATIVIDADES

Quarta-feira – 26 de julho

19h30 – 10 tracks produzidas por mulheres para pista de dança – audição comentada com o DJ Mauro Telefunksoul

21h – Live PA (com DJ Angelis Sanctus aka Cláudio M., Neila Kadhí e Laila Rosa)

22h30 – Pistinha com DJ André Urso
Quinta – 27 de julho

19h30 – Abertura oficial com a DJ Adriana Prates

Mulheres, Djing e produção de música eletrônica, com a escritora, jornalista e DJ Cláudia Assef (SP)

Mulher e música eletrônica na Bahia, com Andrea May, Mariella Santiago, Neila Khadí

22h – Pistinha com DJs Mauro Telefunksoul, Kylt e Nai Sena
Sexta – 28 de julho

19h30 – Palestra: Produção musical a partir de softwares (Logic) com a DJ Fernanda S.

20h30 – Palestra: Interfaces da discotecagem, com a DJ Dany Andrade

22h – Pistinha com DJs Môpa, Suzi Quatro Tons e Cigarra Ellerika (projeto das DJs Cigarra & Karielle)
Sábado – 29 de julho

23h

– PitchGirls

Festa de encerramento no Bar Lebowski (R. da Paciência, 127. Rio Vermelho, Salvador)

Com as DJs do Pragatecno: Adriana Prates, Dany Andrade e Fernanda S aka Foxxy

VJ May HD

(todas as atividade são gratuitas. O convite para a festa pode ser baixado em www.pragatecno.com.br)

Sobre o Pragatecno – rede colaborativa em torno da cultura do dj e cibercultura, cultura livre

O Pragatecno foi criado em 24 janeiro de 1998 quando o coletivo assinou a festa Grove em Garça (No Bar Barraca do Titio, em Garça Torta, Maceió. Alagoas, Brasil), embora o grupo já existisse em 1997. Pragatecno é um núcleo de e-music no Norte-Nordeste. Sua ideia principal é procurar trazer à tona as novidades da cultura experimental, não comercial da música eletrônica e cibercultura, através da troca de informação entre djs e produtores nessas regiões. O Pragatecno defende que a cultura da música eletrônica é uma expressão artística da Cibercultura. “Música eletrônica é arte experimental, é arte contemporânea”, defende o grupo em seu site (www.pragatecno.com.br). Fazem parte dessa conexão djs parceiros que atuam nas cidades de Belém do Pará, São Luis, Fortaleza, João Pessoa, Maceió e Salvador. Podemos definir o Pragatecno como uma conexão norte e nordeste para fortalecer a cultura experimental da música eletrônica.

 

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s